O fato é que o Marketing, para um leigo no assunto, é visto apenas sob a ótica de “Ações de Comunicação” e de “Campanhas Publicitárias”. Apesar disso, não culpemos essas pessoas por terem uma visão, de certa forma, limitada sobre a atuação dos profissionais de Marketing.

Por muito anos, cultivamos que essa é uma profissão de “criativos”, que têm insights a partir de um conhecimento puramente tácito, e seu modo de trabalhar é basicamente lúdico. E é aí que mora o perigo!

As relações corporativas não comportam mais esse profissional, pelo simples fato de que é provado que a “transpiração” vale muito mais que a “inspiração” nesta nossa profissão. É por esse motivo que o Marketing Digital, por exemplo, é assunto frequente em eventos da área, pauta de reuniões de fóruns de inovação, oportunidades de vagas no Linkedin, listas de startups de sucesso, e por aí vai.

O profissional de marketing atual é muito menos Don Draper* e muito mais Peter Brand**. ‘E quem é Peter Brand? Ele é famoso? Nunca ouvi falar nesse cara!’ Exatamente! Peter Brand não é protagonista (até porque, convenhamos, não é fácil competir com um Brad Pitt), mas é o nerd que “muda o jogo” no filme “Moneyball”, fazendo conexões entre um calhamaço de dados e, nesse processo, desafiando as vaidades daqueles que dizem saber tudo sobre o mercado porque, afinal, já estão nele há muito tempo!

É desse personagem que o Marketing do futuro precisa. Um exímio Analista e conector de dados, que trabalha arduamente pra entender o mundo que o cerca de maneira lógica para, criativamente, ter seus insights.

*Protagonista do seriado Mad Men

**Personagem interpretado por Jonah Hill no filme Moneyball (2011)

Aline Monteiro